Home Noticias Carona tenta aliviar amigo que dirigia Porsche: “Não me recordo”

Carona tenta aliviar amigo que dirigia Porsche: “Não me recordo”

4
0
Carona tenta aliviar amigo que dirigia Porsche: “Não me recordo”

São Paulo — Marcus Vinícius Machado Rocha, de 22 anos, amigo de Fernando Sastre de Oliveira Filho, de 24 anos, empresário acusado de dirigir embriagado, bater um Porsche na traseira de outro veículo e matar um motorista de aplicativo no dia 31 de março, na zona leste de São Paulo, afirmou em audiência de instrução que “não se recorda” se Fernando estava alcoolizado ao assumir o volante.

O depoimento de Marcus ocorreu em 28 de junho. No mesmo dia, também depuseram a namorada dele, Juliana de Toledo de Simões, também de 22 anos, e  a namorada de Fernando, Giovanna Pinheiro Silva, de 23 anos.

A audiência de instrução é a etapa do processo penal feita para colher todas as provas das partes e todos os depoimentos das testemunhas, a fim de instruir o caminho do acusado ao Tribunal do Júri. Ela é feita através de uma sessão pública e é comandada por um juiz. Fernando Filho é réu pelos crimes de homicídio doloso qualificado e lesão corporal gravíssima.

Segundo informações da coluna True Crime, de Ullisses Campbell, no jornal O Globo, Marcus foi orientado por sua defesa e entrou na audiência decidido a falar a verdade, já que também é vítima.  

Ele foi internado no dia 28 de abril na unidade Anália do Hospital São Luiz, na zona leste da cidade, após complicações de uma cirurgia realizada para retirada do baço, além de uma possível lesão no ligamento do joelho esquerdo.

Ele estava no banco do passageiro do Porsche e foi gravemente ferido quando o carro de luxo dirigido pelo amigo bateu na traseira do Renault Sandero do motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana, de 52 anos, que morreu após ser levado ao hospital.

Mesmo assim, no testemunho, o jovem preservou Fernando diversas vezes, principalmente ao afirmar que não se lembrava dos horários dos acontecimentos, nem da quantidade exata de drinks consumidos pelo empresário no restaurante e na casa de pôquer.

Assista ao vídeo:

Em um determinado momento, ele descreve os momentos anteriores ao acidente. “Eles [Fernando e Giovanna] estavam discutindo, e ele entra no carro e fica com a porta aberta. A Giovanna [estava] insistindo que ele não dirigisse, disse que não iria com ele. E como ele é um amigo muito próximo a mim, eu me propus a ir com ele”, relatou. 

“Ele estava meio alterado. Eu não queria que ele fizesse nenhuma besteira no caminho”, testemunhou Marcus Vinícius.

O juiz então pergunta como o jovem se lembra da discussão, e não do estado do amigo. “É que a porta estava aberta”, justifica Marcus. 

Fernando e Marcus, que é estudante de Medicina, se conheceram na infância e convivem há mais de 15 anos.

Sobre a viagem da casa de pôquer até o endereço de Fernando, Marcus contou que “[Fernando] saiu e ficou bem devagarinho, depois deu uma acelerada”, mas que não se recorda da velocidade atingida. “Daí pra frente eu não lembro de mais nada. Só quando eu acordo no hospital.”

“Foi como se fosse de zero a 50 km/h”, Marcus descreve. “Muito curta a distância.”

Um laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil de São Paulo indica que o Porsche conduzido pelo empresário trafegava a uma velocidade média de 156 km/h quando atingiu a traseira do Renault Sandero.

Na ocasião do acidente, Fernando Filho admitiu que estava “um pouco acima” da velocidade permitida para a via, que é de 50 km/h.

Voz pastosa

Um vídeo encaminhado ao Ministério Público de São Paulo (MPSP) mostra o empresário Fernando Sastre de Andrade Filho falando com a voz pastosa dentro do Porsche minutos antes do acidente.

As imagens foram divulgadas no dia 14 de maio pelo portal G1 e, depois, obtidas pelo Metrópoles. A cena foi gravada por Juliana de Toledo Simões, namorada de Marcus Vinicius, que estava no veículo com Fernando e se feriu gravemente no acidente.

Na filmagem, Giovanna Pinheiro da Silva, namorada de Fernando, pergunta “você quer apanhar?”. Ele responde com a voz pastosa “vamos jogar sinuca”. Na sequência, Juliana pergunta “vamos o que, Fernando?” e ele repete “vou jogar sinuca”. Giovanna então diz: “Eu não! Cê vai sozinho, tchau. Eu vou embora com eles”. E a porta do Porsche é fechada.

Fonte: Oficial